A Evolução dos Implementos Agrícolas na Humanidade – Parte 1

Desde os primórdios, o ser humano vive da agricultura para obter seu sustento. É praticamente inexplicável o quanto a cultura é importante para a humanidade, já que ela pode abastecer o mundo, uma bem administrada.

Com o passar do tempo e da evolução da raça humana, era de se esperar que as técnicas de plantio e colheita fossem se aprimorando. O homem já não dava mais conta do aumento de demanda e produção de seus próprios produtos. Um progresso de fato, mas ainda assim uma preocupação.

Foi então preciso desenvolver novas formas de suprir as necessidades, e assim, criadas diversas técnicas capazes de otimizar os resultados, alcançando um nível de produtividade nunca antes visto na história da humanidade.

Vamos acompanhar essa evolução dos implementos agrícolas desde quando o homem era um incansável nômade a busca de terras para a melhor qualidade do seu plantio, até os dias atuais, com fantásticas máquinas de alto valor agregado, que praticamente dispensam o trabalho manual do ser humano.

-


Como dito no início, o homem na maioria das vezes conseguia o próprio sustento através do que podemos chamar hoje de Agricultura familiar. A mão de obra era aperfeiçoada pelas famílias, que geralmente eram grandes e trabalhavam no cultivo. O excedente da produção era utilizado como moeda de troca por outros produtos necessários não produzidos localmente, como algumas especiarias e matéria-prima. 

Os instrumentos utilizados eram manuais, consistindo em pequenas ferramentas de pedra, madeira e posteriormente de ferro, algumas até assemelhando-se a armas. A força de tração ficava por conta de animais e veículos conhecidos como carroças.

As ferramentas foram se desenvolvendo aos poucos. O primeiro arado de lâmina produzido com madeira que se tem registro surgiu no século 13. Tudo isso poupava tempo demais. Era uma soma fácil de ser feita até mesmo para aquela época mais primitiva.

Gradativamente, o homem começa a perceber que alguns implementos agrícolas facilitavam o trabalho no campo e, ao mesmo tempo, aumentavam significativamente os resultados na produção. Com isso, passaram a ser produzidas máquinas especificamente para o setor agrícola, iniciando-se a fase conhecida como agricultura moderna, em 1850.

As primeiras máquinas criadas foram as segadeiras, ou ceifadeiras, para a colheita de grãos em 1780 na Inglaterra e nos Estados Unidos, mas foram começar a serem utilizadas com efetividade apenas em 1833, já que antes eram apenas protótipos. Até a década de 1860, as ceifadeiras para trigo e feno evoluíram bastante, fazendo com que a criação dos Implementos agrícolas passassem a ser desenvolvidas para outros grãos e produtos.

Um dos grandes destaques de inovação dessa época foi a máquina que tirava o caroço do algodão. Esse era um processo que demandava muita mão de obra e levava muito tempo. Com a nova tecnologia, o processo se tornou mais rápido e barato, gerando um grande aumento na produtividade.

Em 1892, foi fabricado o primeiro trator movido a gasolina e a diesel por John Froelich. No entanto, a intensificação desse tipo de máquina se deu durante a Primeira Guerra Mundial, quando a procura por fazendas mecanizadas aumentou, levando ao surgimento de muitas fabricantes de tratores.

Acompanhe o blog da Datacoper para acompanhar a segunda parte dessa evolução.

COMPARTILHE ESSE POST


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá.
Lembre-se que o comentário é de inteira resposabilidade do autor.


Feito com carinho