Agricultura 5.0: Uma nova revolução no campo (parte 1)

Como o desafio de representar um dos principais motores de nossa economia e garantir o abastecimento de alimentos para toda a sociedade, o Agronegócio precisa se manter em constante evolução. Foi graças às revoluções de inovação no campo que o Brasil deixou de ser um importador de alimentos há algumas décadas atrás para se tornar um dos maiores exportadores do mundo. Não existem dúvidas de que novas tecnologias também podem proporcionar outra disrupção positiva neste mercado em um futuro próximo - ou até mesmo imediatamente, com a chamada Agricultura 5.0.





Durante a última década, conceitos e tecnologias disruptivas no campo foram referidas como Agricultura 4.0. O uso de drones, sensores e mapas de satélites para monitoramento da produção se tornaram sinônimos do Agro 4.0, de maneira que muitos profissionais consideram o grupo de tecnologias que surgiram durante este período como partes de uma nova revolução do campo.


Mesmo que estas mudanças possam ter afetado o campo muito recentemente, analistas já apontam para uma nova transformação importante e atual, sucessora do Agro 4.0. Pela primeira vez o salto tecnológico que nossa sociedade vivencia pode tornar possível que outra mudança de alto impacto ocorra no Agronegócio em tão pouco tempo.


Este próximo capítulo nas inovações do Agronegócio, a chamada “Agricultura 5.0”, segue na linha e aprimora as tendências de conectividade no campo, além de trazer evoluções em automatização das fazendas, profissionalização do produtor rural, foco em sustentabilidade e um elevado nível do relacionamento entre empresas e seus clientes. Nesta matéria, vamos evidenciar algumas das inovações e previsões que aparecem com a Agricultura 5.0 e como as organizações do Agronegócio podem acompanhá-las.




Futuro próximo


Antes de falarmos em uma tecnologia específica que pode marcar a era da Agricultura 5.0, é preciso antes ressaltar a mudança comportamental do produtor rural frente ao desenvolvimento e facilidade de acesso a constantes inovações no campo. Esta transformação já é evidente hoje e é o principal fator que permite a aderência de outras disrupções vindouras. O produtor do Agro 5.0 tende a buscar mais conhecimento e pesquisar sobre qualquer aquisição importante em sua propriedade, assumindo um caráter mais exigente e profissionalizado. Para as empresas do Agronegócio, elevar igualmente o nível intelectual de seus consultores é fundamental para que elas continuem a representar autoridade de conhecimentos e agir como agentes de inovação no campo.


Esta disrupção pode se tornar ainda maior de acordo com que os avanços em Inteligência Artificiais passarem a se tornar comuns, incentivando o conhecimento enquanto o trabalho "mecânico" se torna cada vez mais facilitado. Do lado do produtor, os processos em sua propriedade acontecerão de forma automatizada – máquinas serão operadas por conta própria, sistemas na propriedade serão calibrados automaticamente e notificações de anomalias importantes serão relatados ao produtor em tempo real, já com considerações detalhadas e sugestões de um curso de ação assertivo para resolvê-las. Já na visão das empresas, a I.A tende a se tornar um valioso recursos de tomadas de decisão e otimização operacional.




Futuro distante


Mesmo que o Agro 5.0 evolua para novas dinâmicas, o que entendemos por plataformas de “Agricultura Digital” e conectividade no campo devem seguir como realidades no campo – se não por um avanço considerável em suas tecnologias. Assim, o aperfeiçoamento do monitoramento integrado entre máquinas, drones e satélites, a assertividade da agrometeorologia e a contínua otimização de recursos entrarão em seu ápice de eficiência no Agro 5.0.


As tendências de profissionalização do campo, como já citamos, também devem evoluir. O produtor do futuro tende a usar cada vez menos esforços físicos em sua propriedade, transformado-se em especialista que toma decisões mais estratégicas enquanto as máquinas trocam informações entre si e resolvem qualquer ação puramente racional por conta própria.


Enquanto alguns analistas falam que o campo do futuro será tomado por máquinas autônomas menores e acessíveis ou preveem um caminho mais voltado à intensificação da biotecnologia, ainda é cedo para entrar em detalhes específicos sobre os avanços finais da Agricultura 5.0 e suas exatas tecnologias. O que podemos ter certeza é que suas inovações continuarão a ser impulsionadas enquanto tanto o cenário de preocupação da sociedade com a sustentabilidade como a necessidade do aumento exponencial de produtividade se manterem no foco das necessidades do Agronegócio.


Mesmo com características que miram ao futuro, muitas tecnologias e conceitos que irão evoluir ainda mais com a Agricultura 5.0 já estão disponíveis para as empresas e organizações deste mercado. Em nosso próximo post vamos falar sobre as principais de suas oportunidades - Siga nossas redes sociais no facebook e linkedin para acompanhar esta segunda parte, além de novos conteúdos sobre inovação e gestão no Agronegócio!


COMPARTILHE ESSE POST


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá.
Lembre-se que o comentário é de inteira resposabilidade do autor.


Feito com carinho