Ciclo PDCA no Agronegócio

O Agronegócio hoje vive um período de grandes desafios e oportunidades. De um lado, vemos a competitividade característica deste mercado se tornar cada vez mais forte, e de outro as constantes mudanças em nossa realidade política, social e econômica, que impõe às organizações deste segmento a necessidade de atualizar suas táticas e estratégicas.




Como um meio de informar os players do Agronegócio para o aprimoramento de seu planejamento, vamos falar em nosso post de hoje sobre uma das metodologias que podem guiar a execução de uma estratégia: o Ciclo PDCA, contemplando as fases de Planejamento (P-Plan), Execução (D-Do), Análise (C-Check) e Ação (A-Act).




PLAN – Planejamento e Organização




Certamente, qualquer gestor no ramo do Agronegócio sabe que o planejamento é virtualmente a parte mais importante de qualquer outra fase, por guiar a realização de todo um curso de ação. No Ciclo PDCA, o Planejamento significa muito mais do que apenas a elaboração, mas também a organização de informações e históricos de resultados, resgatando a última parte do PDCA (A-Act, a Ação e Atuação Corretiva, que veremos abaixo) em um ciclo virtuoso. Ao mesmo tempo, medidas e contingências devem ser contempladas previamente para o passo seguinte, a Execução.


A fase do Planejamento no PDCA consiste em analisar os processos já estabelecidos pela organização e a situação atual do mercado, identificando possíveis problemas e informações relevantes para futuras ações. Na realidade do Agronegócio, isto significa analisar a performance dos atendimentos e o comportamento atual dos produtores rurais, as informações e ações previstas pela concorrência e a possibilidade de alcançar novos clientes ou fazer uma manutenção mais dedicada de outros mais valiosos para a organização. Este é o momento de colocar tudo na mesa, cruzar informações e usar o que já existe de conhecimento e intuição, a fim de criar um plano sólido para avançar até a próxima etapa.




DO – Execução do Planejamento




A segunda peça do ciclo PDCA é aparentemente simples: executar o que foi preparado na fase do planejamento. Mesmo assim, existem dois pontos importantes que merecem atenção redobrada, um antes de seu início e outro durante as atividades.


Antes de simplesmente enfrentar o mercado e acessar os produtores rurais o mais rápido possível, é preciso garantir a eficiência da equipe comercial. Cada um de seus componentes deve ser devidamente treinado para executar a estratégia proposta, assim como é necessário que todos mantenham a mesma visão para cumprir os objetivos de maneira assertiva.


O segundo ponto se trata de detectar e corrigir falhas para alinhar o planejamento de acordo com os desafios e oportunidades que podem surgir durante a execução das atividades. É impossível prever todas as variáveis no planejamento, por isso é crucial ter esforços disponíveis para reagir a novos eventos ou riscos que podem se desenrolar no mercado.




CHECK – Análise e Acompanhamento




Após toda a fase da execução finalizar, o terceiro ato do Ciclo PDCA contempla a comparação das metas e objetivos com o que foi previsto no planejamento, tanto a um nível local como estratégico. Tanto os resultados positivos como negativos devem ser avaliados de forma a descobrir o motivo de cada anomalia.


O propósito desta terceira parte do Ciclo PDCA é medir os resultados para calibrar os próximos planejamentos, além de recolher informações que possam ser relevantes para o próximo passo. É aqui que novos comportamentos de compra de alguns produtores e a performance da equipe de campo podem ser provados.




ACT – Atuar Corretivamente




O Ciclo PDCA termina referenciando diretamente o seu início, e idealmente deve estar em constante recomeço. A atuação corretiva é um pré-planejamento, onde os sucessos que foram alcançados nas etapas anteriores podem ser padronizados para que continuem a ser efetivos e os desafios enfrentados devem ser remediados.


Dependendo do nível de sucesso das últimas atividades, a organização conseguirá estabelecer suas ações como uma nova diretriz, descobrindo uma “fórmula” que possa servir de base para suas futuras ações.


Por outro lado, qualquer desafio enfrentado durante o processo pode ser tratado e melhor previsto durante as próximas ações. É aqui que o Ciclo PDCA mostra sua utilidade: seu uso cria um padrão de melhoria constante para a organização. Essencialmente, o PDCA é um método para otimizar os resultados e se adaptar a mudanças no cenário imprevisível do Agronegócio.




Concluindo, o Ciclo PDCA pode ser resumido da seguinte forma:



Gostou deste post? Siga nossas redes sociais e tenha acesso a outros conteúdos sobre tecnologia e Agronegócio!

COMPARTILHE ESSE POST


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá.
Lembre-se que o comentário é de inteira resposabilidade do autor.


Feito com carinho