Expectativas do Agronegócio para 2021

Prever com precisão o que o futuro nos aguarda sempre foi uma tarefa desafiadora. Em meados de 2019, o mundo não poderia saber que o ano seguinte seria o palco de uma pandemia, com todas as conseqüências que até hoje observamos. Mas, ao mesmo tempo, precisamos usar das informações que temos hoje para elaborar ao menos um quadro provável do nosso futuro, para que seja viável planejarmos nossas ações com assertividade. Por isso, compilamos algumas análises de especialistas e organizamos informações que podem nos dizer como será o futuro do Agronegócio em 2021, suas principais mudanças, e como as organizações podem se adaptar para realizarem melhores negócios no campo e estarem por dentro das expectativas do próximo ano.




Dados Atuais




Segundo uma análise da Ipea, as projeções atuais para o setor agropecuário em 2021 são de um aumento de 3,2% no Produto Interno Bruto, um valor já bem acima do crescimento menor - embora positivo - neste ano impactado pelos desafios econômicos e sociais. A projeção inicial de boas condições climáticas para 2021 faz parte da avaliação positiva neste cenário, mas é preciso ter cautela, já que outra análise da Conab afirma que o clima pode rapidamente se alterar. Mesmo assim, a Conab também revela projeções otimistas, avaliando o desempenho da produção de milho em um avanço de 9,1% e da soja em 10,5%, acompanhados também pela recuperação durante o ano de todos os ramos da pecuária - embora o real destaque exista para a carne bovina, em um aumento de 6,3%. Muito do faturamento destas produções será afetado pelo mercado internacional e como outros países lidam com seus desafios.




Guerra Comercial EUA x China




Para o Agronegócio do Brasil, é importante ficar de olho no cenário EUA e China, que vimos durante 2020 a continuidade da guerra comercial entre os dois países. A princípio, resolução das eleições americanas e recentes vendas de soja americana para o país asiático mostram uma aproximação entre os países. Em contraste, no mesmo período ocorreu o fechamento de embaixadas por parte de ambos os lados, um movimento político que mostra certa distância na resolução do conflito de forma geral. Assim, é possível esperar a extensão da guerra comercial para os próximos meses e que a China continue a esperar o abastecimento de suas demandas no Brasil por um futuro próximo. Pela natureza volátil da diplomacia entre estes países até então, infelizmente é incerto quando a animosidade econômica entre eles irá retornar aos níveis anteriores à guerra comercial.




Quanto a Pandemia




Como citamos no início desta matéria, ninguém poderia ter previsto todas as conseqüências da pandemia. Ao menos agora podemos usar das informações que já temos sobre ela para dizer um pouco sobre as possibilidades que o futuro nos aguarda em relação a ela. Com o desenvolvimento de diversas vacinas se aproximando de seu estágio final, é bem provável que em 2021 elas sejam entregue para aplicação, no Brasil e no mundo. Quanto tempo existirá entre a organização e a vacinação de fato da população em escala considerável ainda é desconhecido. Para a economia, isto significa que, mesmo que lentamente, a situação do mercado tende a uma cautelosa estabilidade - especialmente se compararmos aos impactos mais drásticos deste ano. No Agronegócio, os setores mais afetados devem apresentar evolução em relação a 2021. Se os dados da Ipea e da Conab citados anteriormente estiverem corretos, o agro irá seguir à frente da recuperação econômica de nosso país.




Gostou deste post? Confira nosso facebook e linkedin para mais conteúdos sobre inovação no campo e soluções para o agronegócio!

COMPARTILHE ESSE POST


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá.
Lembre-se que o comentário é de inteira resposabilidade do autor.


Feito com carinho