Tesouros do Agronegócio – Avicultura

Continuando nossa série de posts sobre os Tesouros do Agronegócio brasileiro e mundial, vamos falar hoje sobre a avicultura!




 

O que é a Avicultura?




 

A avicultura é a criação de aves para produção de alimentos, tanto através da carne de aves quanto da produção de ovos. Entre as espécies criadas na avicultura destaca-se o frango, que é o principal protagonista da cultura não só no Brasil, mas também no mundo. Mas não é limitado a somente este tipo de ave. A avicultura se estende a espécies como perus, patos, gansos, codornas e o avestruz.


 

Dentro dessa abordagem, a avicultura pode ser dividida entre avicultura de corte e postura.




 

Avicultura de corte




 

A avicultura de corte é o nome dado à criação de aves que serão levadas ao abate com o objetivo de comercialização da sua carne. Hoje essa é uma das atividades agropecuárias mais desenvolvidas.


 

Em cerca de 40 dias tem-se um lote completo de aves prontas para o abate e consumo; essa realidade é muito diferente do início dessa atividade no Brasil, quando o lote levava cerca de 6 meses para alcançar o peso de abate.




 

Avicultura de postura




 

Já a avicultura de postura se destina à criação de aves para a produção de ovos, também conhecidas como poedeiras. A produção pode se dividir entre ovos para a reprodução e a para o consumo. A diferença existente entre uma e outra é a presença do galo.


 

Na produção de ovos para reprodução, é necessária a presença do galo para que esses ovos sejam “galados”, ou seja, fertilizados. Já na produção de ovos para consumo, sua presença é dispensável, porque os ovos estéreis se conservam melhor e por mais tempo.






 

SAZONALIDADE:




 

O ciclo produtivo no setor avícola é curto, ou seja, são entre 40 a 45 dias entre o nascimento e o abate das aves.




 

MODO DE PRODUÇÃO:


 

· Cooperação entre indústria e produtores;

· Indústria fornece material e suporte ao produtor, realiza o transporte, o abate e a comercialização/exportação;

· Predominante na Região Sul do País;

· Cerca de 70% da produção nacional de frango é proveniente do sistema de integração, sendo também responsável por grande parte das exportações.

· Predomina nos Estados de São Paulo e Minas Gerais;

· Caracteriza-se pela concentração de todas as atividades em poder dos avicultores.




 

REGIONALIZAÇÃO:


 

· A região Sul do país tem perfil mais exportador no segmento de carnes suínas e de frango;

· Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul respondem por 80% das exportações;

· São Paulo e Minas Gerais têm perfil mais voltado para o mercado interno.



 

ABATE DE AVES (por estado – 2017)


 

Paraná 31,8%

Santa Catarina 15,4%

Rio Grande do Sul 12,2%

São Paulo 11,7%

Minas Gerais 7,1%

Goiás 6,6%

Mato Grosso 3,6%

Mato Grosso do Sul 3,3%

Bahia 2,0%

Pará 1,2%

Outros 4,7%




RANKING:




 

PRODUÇÃO DE CARNE DE FRANGO (ranking mundial – 2016):




 

EUA 20,6%

Brasil 15,1%

China 14,2%

União Europeia 12,0%

Índia 4,7%

Rússia 4,1%

México 3,7%

Argentina 2,5%

Outros 23,2%




 

CONSUMO DE CARNE DE FRANGO (ranking mundial – 2016):




 

EUA 17,4%

China 14,5%

União Europeia 11,8%

Brasil 10,8%

Índia 4,8%

México 4,7%

Rússia 4,3%

Japão 2,6%

Outros 29,2%




 

EXPORTAÇÃO DE CARNE DE FRANGO (ranking mundial – 2016)




 

Brasil 38,0%

EUA 28,4%

União Europeia 11,0%

Tailândia 5,9%

China 3,5%

Outros 13,2%




 

IMPORTAÇÃO DE CARNE DE FRANGO – 2016 (ranking mundial – 2016)




 

Japão 10,4%

Arábia Saudita 10,3%

México 9,2%

União Europeia 8,3%

Iraque 7,7%

África do Sul 5,4%

China 4,1%

Hong Kong 3,5%

Angola 3,0%

Rússia 1,5%

Outros 36,7%




 

CONSUMIDORES:




 

EXPORTAÇÕES DE CARNE DE FRANGO (principais países de destino - 2015):


 

Arábia Saudita 18,7%

Japão 10,0%

União Europeia 9,6%

China 7,3%

Emirados Árabes Unidos 7,2%

Hong Kong 5,6%

África do Sul 5,4%

Venezuela 3,1%

Outros 33,2%




 

FATORES DE RISCO




 

· Riscos sanitários – contaminação pela gripe aviária, por meio de aves migratórias

· Barreiras sanitárias e sanções comerciais

· Setor exportador – dependente do comportamento do câmbio

· Setor sensível aos aumentos de custos do milho e da soja




 

O agronegócio é vasto e complexo – podemos continuar nos aprofundando nele virtualmente para sempre. Em nossas próximas postagens vamos falar sobre a suinocultura e, futuramente, sobre a produção de açúcar e café no Brasil. Também divulgaremos assuntos sobre tecnologia, gestão e fidelização de clientes no mercado Agro. Siga nossa página no Facebook e no Linkedin e se mantenha atualizado com novas matérias toda as semanas!


COMPARTILHE ESSE POST


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá.
Lembre-se que o comentário é de inteira resposabilidade do autor.


Feito com carinho