Tesouros do Agronegócio - Suinocultura

Continuando nossa série de posts sobre as maiores riquezas do agronegócio brasileiro e mundial, vamos falar hoje sobre a pecuária suína!




O que é a Suinocultura?




Produzindo o tipo de carne mais consumida em todo o mundo, a suinocultura é praticada pela humanidade há pelo menos 7.000 anos. É muito popular no leste e sudeste da Ásia, além de ser bastante comum no mundo ocidental, com ênfase para a Europa Central, onde muitos pratos típicos envolvem a carne suína. Fortes laços culturais também envolvem o consumo e a criação suína: enquanto em certos países como a França e a Alemanha o processo de produção de salsichas e salames se tornou uma tradição, algumas religiões como o judaísmo e o islamismo proíbem o seu consumo. Por outro lado, algumas igrejas da Grécia consideram este alimento um símbolo histórico importante.




Não podemos nos esquecer, também, que no Brasil a suinocultura possui um legado histórico e cultural surgido desde o período colonial – a nossa famosa feijoada é o exemplo mais clássico de sua influência.




Produto e Produção




Em todo o vasto campo da indústria animal, nada existe que produza melhores resultados práticos do que a criação de suínos, quando conduzida de forma criativa e inteligente. Por isso, a suinocultura é considerada um dos ramos mais valiosos da pecuária. Na criação desses animais, pode-se reutilizar vários insumos para outras atividades, tanto nas grandes propriedades como nas pequenas chácaras.




O porco é um animal que pode ser explorado com pequeno capital inicial. Requer, relativamente, pouca atenção, adapta-se às mais variadas condições climáticas e é altamente prolífero. Ele também produz grande rendimento de carne, proporcionando bons lucros logo no primeiro ano.




O complexo de carnes brasileiro é bastante competitivo no mercado internacional, em razão de uma combinação de fatores: sistema integrado de produção, eficiente sistema logístico portuário, engenharia genética, controle ambiental, disponibilidade de insumos para ração.




PRODUÇÃO DE SUÍNOS NO BRASIL



Santa Catarina 26,8%

Paraná 21,7% 

Rio Grande do Sul 19,0% 

Minas Gerais 12,1% 

Mato Grosso 5,6% 

São Paulo 4,5% 

Goiás 4,3% 

Mato Grosso do Sul 3,9% 

Espírito Santo 0,7% 

Distrito Federal 0,5% 

Outros 1,0% 




Fatores de Risco




· Risco sanitário: contaminação de doenças como a peste suína e a febre aftosa

· Barreiras sanitárias e sanções comerciais

· Setor exportador – dependente do comportamento do câmbio

· Setor sensível aos aumentos de custos do milho e da soja

· Quase 50% das exportações brasileiras de carne suína são concentradas na Rússia




Fornecedores


· Os fornecedores de insumos para os pecuaristas e criadores são fabricantes de medicamentos, vacinas e rações.

· As Indústrias fornecem materiais e suporte ao produtor, realizam o transporte, o abate e a comercialização/exportação;




Ranking




PRODUÇÃO DE CARNE SUÍNA (ranking mundial, 2016)




CHINA 48,7%

União Europeia 21,3%

EUA 10,4%

Brasil 3,3%

Rússia 2,4%




CONSUMO DE CARNE SUÍNA (ranking mundial, 2016)




China 50,1%

União Europeia 19,0%

EUA 8,7%

Rússia 2,8%

Brasil 2,7%




EXPORTAÇÃO DE CARNE SUÍNA (ranking mundial, 2016)




União Europeia 34,1%

EUA 31,0%

Canadá 16,4%

Brasil 8,8%

China 3,0%




IMPORTAÇÃO DE CARNE SUÍNA (ranking mundial, 2016)




Japão 18,3%

China 18,0%

México 15,3%

Coréia 8,5%

EUA 7,4%




EXPORTAÇÕES DE CARNE SUÍNA (países de destino, 2015)




China 44,9%

Hong Kong 22,8%

Angola 6,6%

Cingapura 5,2%

Uruguai 4,2%




Gostou deste post? Visite nosso site www.somosagro.com.br e siga nossa página no facebook e no linkedin. Compartilhamos materiais como este toda terça e sexta-feira!

COMPARTILHE ESSE POST


DEIXE SEU COMENTÁRIO

Os comentários do blog são via facebook. Para comentar você tem que estar logado lá.
Lembre-se que o comentário é de inteira resposabilidade do autor.


Feito com carinho